política

E o caso da tal treta do vídeo do João Doria e as moças prestadoras de “serviços gerais”?

Vamos tocar na ferida? Parece que já cicatrizou.

Talvez pela falta de bons nomes na disputa ao cargo de governador do estado de São Paulo o segundo turno foi disputado entre João Doria e Márcio França.

Lembram daquele período eleitoral? Todo dia surgia uma treta nova.

Uma das maiores (talvez até a maior) surgiu cinco dias antes da votação do segundo turno e envolvia João Doria.

Um vídeo no qual supostamente Doria estaria com várias garotas de programa, que se espalhou por toda internet mais rápido do que a dona Edinair correndo de uma repórter em Goiânia:

senhora

É importante se lembrar das pesquisas do Ibope, que apontavam empate técnico entre Doria e França.

Doria, conforme já informado neste artigo, inclusive teria contratado uma banca jurídica de elite para fiscalizar as redes sociais e processar quem lhe criticasse.

Se alguém não sabe, Doria também é publicitário, tendo se graduado pela FAAP.

É apenas uma suposição, mas talvez Doria acredite na máxima proferida por Oscar Wilde: “The only thing worse than being talked about is not being talked about” (tradução livre: a única coisa pior do que ser malfalado é não ser falado).

Ou, como ensina Roger Stone: “antes infame que anônimo”.

E, como no jargão popular: “falem mal, mas falem de mim”.

Falaram do Doria. E como falaram.

Uma das suas primeiras reações (talvez a primeira) foi, ao lado de sua esposa, afirmar publicamente que o vídeo era falso, dando a entender que poderia ser um ataque de seu adversário Márcio França.

Chamou a atenção de muitos o semblante da Sra. Bia Doria, aparentemente muito entristecida. Rapidamente muitas pessoas afirmaram que, pela expressão de Bia Doria, nem ela deveria estar acreditando que o vídeo seria falso.

Rapidamente Márcio França se manifestou contra, mas não sem deixar de prestar solidariedade ao adversário:

mixuruca

Ooops, imagem errada (essa aí quem enviou foi o Danilo Gentili, processem ele).

Agora sim a imagem correta:

Captura de Tela (439)

Ok, Márcio França, acho que todo mundo percebeu esse trocadilho com “medir os outros p/ sua régua”.

Mas sutil demais, talvez ganhasse a eleição se realmente fosse real o tuíte do “pintinho mixuruca”.

Enfim, foram realizadas várias perícias, parte concluindo que o vídeo era uma montagem, parte atestando que o vídeo era verdadeiro.

Fato é que foram feitas várias piadas (como a de cima) e o assunto rendeu bastante nas redes sociais e na mídia. Seguem alguns destaques:

Captura de Tela (440)

Captura de Tela (441)

E, no fim, Doria venceu França por uma mixaria de diferença: 51,75% a 48,25%

Teria toda essa polêmica do vídeo ajudado, atrapalhado ou não interferido em nada no resultado do pleito?

De qualquer forma, o assunto parece estar morto e enterrado.

Não há notícias de que Doria ainda estaria atrás de procurar e punir quem fez e espalhou o vídeo que, segundo o governador eleito, é fruto de montagem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s